25 de outubro de 2013

O que significa a transfiguração de Jesus?

Uma noite Jesus sobe ao alto de uma montanha acompanhado por Pedro, Tiago e João. Jesus começa a orar e os discípulos caem no sono. Ao acordarem eles percebem que Jesus se transfigurou: seu rosto brilhava como o Sol e suas roupas ficaram brancas como a luz.
1º - Com quem Jesus estava conversando?

Jesus estava conversando com Moisés e com o profeta Elias. E porque eles?

  • Moisés ( a lei)
Segundo as escrituras hebraicas, a Lei foi dada por Deus através do profeta Moisés, tendo sido os Dez Mandamentos escritos em tábuas de pedra pelo próprio dedo de Deus no monte Sinai, a tábua dos dez mandamentos. Portanto Moisés aparece na transfiguração representando a Lei.
  • Elias (os profetas) 
Elias foi um dos mais destacados servos de Deus mencionados no Antigo Testamento. Ele testificou de Deus no meio da idolatria, enfrentando o rei de Israel, a rainha Jezabel, os 450 profetas de Baal e os 400 profetas do poste-ídolo (I Reis cap. 18); ele orou a Deus, e não choveu naquela terra por três anos e seis meses! Um super-homem? Não; “Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos” (Tiago 5:17). Portanto Elias aparece na transfiguração representando os profetas.

Desta forma Moisés e Elias estavam ali representando as próprias escrituras ( alei e os profetas). Veja o que Jesus diz em (Mateus 7:12): "Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas."

Naquele tempo as escrituras sagradas eram divididas em dois grupos de livros (rolos): 
A lei = constituída pelos cinco livros do pentateuco atribuídos a Moisés.
Os profetas = constituído pelos demais livros proféticos


2º - Entre eles está Jesus.

Toda a lei e todos os profetas anunciaram a Cristo. Jesus é o tema central da Bíblia. Ele mesmo de­clara em Lucas 24.44 e João 5.39. (Ler também Atos 3.18; 10.43; Apocalipse 22.16). Se olharmos de perto, veremos que, em tipos, figuras, símbolos e profecias, Ele ocupa o lu­gar central das Escrituras, isto além da sua manifestação como está registrada em todo o Novo Testamento.

Em Gênesis, Jesus é o descendente da mulher (Gn 3.15). 
Em Êxodo, é o Cordeiro Pascoal. 
Em Levítico, é o Sacrifício Expiatório. 
Em Números, é a Rocha Ferida. 
Em Deuteronômio, é o Profeta. 
Em Josué, é o Capitão dos Exércitos do Senhor. 
Em Juizes, é o Libertador. 
Em Rute, é o Parente Divino. 
Em Reis e Crônicas, é o Rei Prometido. 
Em Ester, é o Advogado. 
Em Jó, é o nosso Redentor. 
Nos Salmos, é o nosso socorro e alegria. 
Em Provérbios, é a Sabedoria de Deus. 
Em Cantares de Salomão, é o nosso Amado. 
Em Eclesiastes, é o Alvo Verdadeiro.
Nos Profetas, é o Messias Prometido. 
Nos Evangelhos, é o Salvador do Mundo. 
Nos Atos, é o Cristo Ressurgido. 
Nas Epístolas, é a Cabeça da Igreja. 
No Apocalipse, é o Alfa e o ômega; é o Cristo que volta para reinar.


3º - Sobre o que estavam falando

O rosto e as vestes de Jesus tornam-se fulgurantes de luz, Moisés e Elias aparecem, e é importante notar que o evangelista destaca sobre o que eles falavam: “de sua partida que iria se consumar em Jerusalém” (Lc 9,31).


4º - O que Deus ensina a Pedro

Pedro, sem entender bem o que estava acontecendo, propõem para o Mestre construir abrigo para os três que conversavam. Porque ele agiu assim?

É interessante notar que em nenhum outro momento Pedro se dispôs a construir um abrigo para Jesus, mas desta vez impressionado se sentiu na obrigação de servir os ilustres "visitantes". Claro que não ficaria bem abrigar os dois profetas e deixar seu Mestre sem abrigo, sendo assim se dispôs a servir os três.


E justamente neste momento a Trindade inteira se manifesta: o Pai, na voz; o Filho, no homem; oEspírito, na nuvem clara. E Jesus mostra sua glória divina. Mostra também que, para “entrar em sua glória” (Lc 24,26), deve passar pela Cruz em Jerusalém. Moisés e Elias haviam visto a glória de Deus sobre a Montanha; a Lei e os profetas tinham anunciado os sofrimentos do Messias. Fica claro que a Paixão de Jesus é sem dúvida a vontade do Pai: o Filho age como servo de Deus. 

E esta passagem termina com Deus Pai deixando bem claro que, Jesus é seu filho amado e é a Ele que devemos ouvir.  "Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi." (Mateus 17:5)

Ou seja, toda honra, toda glória devem ser dadas a Jesus, não aos servos. E por mais que a lei e os profetas sejam importantes, é a Jesus que devemos ouvir pois somente Ele é o caminho, a verdade e a vida (João 14:6)


Por: Jesus dentro do barco
24/10/13
Fonte: Rocha Ferida

0 Comentario:

Postar um comentário

Deiche aqui suas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...