3 de abril de 2013

A Igreja que matou Jesus

                

A igreja que matou Jesus era religiosa. 
A igreja que matou Jesus convivia com Ele, mas não o conhecia. 
A igreja que matou Jesus era hipócrita, suas vestes limpas eram as externas.
Na igreja que matou Jesus havia podres e sujeiras nos bastidores. 
Na igreja que matou Jesus a última palavra era dos poderosos, dos santos, do 'sumo- sacerdote'. 
Na igreja que matou Jesus a comunhão era fingida. 
Na igreja que matou Jesus a fé era coletiva. 
O amor, discursivo. 
A piedade, falsa.
Os religiosos da igreja que matou Jesus 
- diziam-se santos
- vestiam-se adequadamente
- davam o dízimo e as ofertas
- mas estavam prontos a apedrejar a pecadora. 
A igreja que matou Jesus não frutificava, visto que era exclusiva e não inclusiva.
Na igreja que matou Jesus havia muita reverência a homens e poucos homens-referência. 
Na igreja que matou Jesus vivia-se uma verdade inventada, acrescida, dogmática. 
A igreja que matou Jesus cumpria a Lei, mas desconhecia a Graça. 
A igreja que matou Jesus ignorava Sua voz, mas orava em voz alta. 
A igreja que matou Jesus tinha tanta convicção em suas verdades que o mataram.
A igreja que matou Jesus nem chegou a ser chamada de Igreja, mas ainda existe. 
Você a conhece?

Por: Jesus dentro do barco
02/04/13

2 Comentario:

Tunin disse...

A igreja que matou Jesus era cheia de fariseus. Vivia de aparência e não entendeu o projeto do Pai.
Bem oportunos os teus versos.
Abração.

Chis Hilling disse...

gostei

Postar um comentário

Deiche aqui suas mensagens