10 de novembro de 2012

Qual o seu pedido ?



Aproximou-se dele, então, a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, ajoelhando-se e fazendo-lhe um pedido.
Perguntou-lhe Jesus: Que queres? Ela lhe respondeu: Concede que estes meus dois filhos se sentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino.
Mateus 20:20-21


Até onde vai a capacidade do ser humano em querer sempre promover-se em detrimento de outros? No capítulo 19, versículo 28, Jesus está dizendo aos discípulos que por terem renunciado suas vontades e deixado para trás todas as coisas a que eram apegados para segui-lo, receberiam a honra de assentar-se sobre tronos e julgar as doze tribos de Israel, assim também aqueles que priorizarem o Reino e deixarem para trás suas responsabilidades pessoais por causa dEle, serão muito honrados e também o herdarão o prêmio da vida eterna.

Mas não bastava apenas assentar-se no trono, tinha que ser ao lado de Jesus. Essa foi a atitude da mãe de João e Tiago ao achegar-se a Ele fazendo esse pedido. Não vou entrar no mérito de que essa teria sido a atitude de uma mãe que desejava o melhor para seus filhos, até porque no livro de Marcos, no capítulo 10 do versículo 35 ao 37, confirma-se que Tiago e João fizeram o pedido, o que revela que os três estavam juntos na mesma intenção.

Jesus deixa bem claro que eles beberiam do mesmo cálice e seriam batizados com o mesmo batismo dEle, mas serem colocados em lugar maior honra, assentados a Sua esquerda ou direita é para aqueles a quem está reservado.
Esse pedido causou indignação nos demais discípulos, que viram ali a prepotência e um sentimento de egoísmo dos dois irmãos.  Não estou, de maneira nenhuma, tentando desqualificar esses grandes homens de Deus: Tiago e João. Afinal foram homens de respeito e integridade, mas apesar de tudo, eram discípulos, estavam aprendendo ainda. Muita coisa era diferente, muitas atitudes precisavam ser lapidadas, estavam em processo de aprendizado. Eles foram passados na “casca do alho” e aprovados por Deus. Portanto, o foco é extrair um ensinamento desse trecho da Palavra e não criticar nenhum deles.

A questão é que quando trazemos esse ensinamento para nossas vidas, vemos que temos ainda muito o que mudar.  Veja bem. Certa vez conversando com um amigo que trabalhava numa empresa que fiscalizava denúncias de populares, ele me disse que tinha se surpreendido com umas denúncias onde dois comerciantes abriam processos, um contra o outro, pelo simples fato de serem concorrentes, forjando falsas provas, numa jornada maquiavélica e estratégica de acabar com o comércio do outro, destruindo a concorrência. Até onde vai a capacidade do ser humano em ser mesquinho e egoísta? Veja como ser um concorrente era motivo de tanta confusão, ao ponto de ligarem para pedir a fiscalização na empresa do outro, inventando mentiras e supostas irregularidades com o propósito de pressionar e fechar o outro comércio.

Quantas pessoas estão nas igrejas, muitas com objetivos sinceros, renunciando suas vontades e lutando para conquistar o Reino de Deus e quantas outras tentando conseguir benefícios pessoais, familiares e vitórias financeiras, vivendo em duplicidade de vida, exibindo o que não tem e o que não é.
Podemos fazer uma análise, usando a Bíblia, de como estamos agindo e sendo visto pelo Pai. Responda para você mesmo: Qual têm sido a sua oração mais comum e a verdadeira intenção dela? Tem sido do tipo: “ME dá...”, “EU não aceito...”, “EU quero...”, “EU preciso...” ou “Tu És...”, “Faça-se a TUA vontade...”, “Quem SOU eu para que...”, “Quero TE servir...” ?
Não estou questionando a forma como se inicia a sua oração, mas a sua verdadeira intenção em conversar com Deus. Qual o seu pedido?
“A sanguessuga tem duas filhas:  e . Estas três coisas nunca se fartam; e com a quarta, nunca dizem: Basta!
Provérbios 30:15

Quero isso! Quero aquilo! Sonhamos muito, e Deus nos incentivar a sonhar “alto”.
Mas devemos priorizar ao invés de “eu quero”, “o que Tu queres”.

Veja que interessante essa historinha que tem acontecido muito por aí.
- Ah! Pastor, eu quero fazer a obra do Senhor!
- Certo! Que tal ir para a porta da igreja receber os irmãos?
- Agora não, Pastor, eu quero louvar no altar, lá em cima!
- As coisas de Deus funcionam de forma diferente, filho. Pra subir, tem que descer... Para liderar, tem que servir... Para ser primeiro, muitas vezes você tem que ser último.

Devemos saber o que queremos e se o que queremos está dentro dos planos de Deus. Afinal a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável.
O não de Deus é uma ferramenta que Ele utiliza para fortalecer nossa vida espiritual e nos dar experiências através de um aprendizado por um erro cometido, que será convertido em um futuro acerto.
Tudo tem o seu tempo, e para receber as bênçãos de Deus, é preciso estar com a vida de acordo com a Sua Palavra.
Três condições, de acordo com a leitura desse versículo nos trazem o aprendizado de como diante de um pedido, provavelmente, não ouvir um “não” de Jesus.
- Deve estar nos planos para o crescimento do Reino de Deus e glorificar ao Nome do Senhor;
- Saber esperar ou perceber o tempo certo;
- Estar com a vida no altar de Deus.

“Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.”
2 Coríntios 13.5

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”
João 8:32

Nossas escolhas, nossos pedidos revelam muito de nós. Ainda que não demonstremos, o que pedimos externa o que está interno.

Que Deus te abençoe!
A Palavra de Deus é a bússola orientadora, siga esse caminho.

Que Deus te abençoe.

Por: Jesus dentro do barco
09/11/12
Fonte: Pastos Verdejantes

0 Comentario:

Postar um comentário

Deiche aqui suas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...