7 de julho de 2011

Jesus de Nazaré da Galiléia!


Jesus, o judeu de Nazaré da Galiléia


Quando Jesus começou seu ministério, todos o identificaram como alguém de seu meio:
a) Filho do carpinteiro, irmão de Tiago, José, Simão e Judas (Mt 13.55);
b) Carpinteiro, filho de Maria (Mc 6.2);
c) Filho de José (Lc 4.22).
O “Jesus de Nazaré” ou “Jesus Nazareno” era um identificador de uma de suas principais características. Os apelidos, que funcionavam como sobrenome, geralmente eram dados de acordo com um fator importante que o distinguia de outra pessoa com o mesmo nome. Esse acréscimo ao nome, poderia ser a filiação, como, por exemplo, “Simão Bar Jonas”, isto é, filho de Jonas (Mt 16.17). Poderia ser de função como João, o Batista (Mt 3.1) ou Simão, o curtidor (At 10.6). Poderia ser de qualidade, como “Boanerges”, que significa “Filhos do Trovão”, como no caso de Tiago e João (Mc 3.17). Ou ainda poderia ser de lugares, como José de Arimatéia (Lc 19.38).
No caso de Jesus, todos o identificavam como sendo de Nazaré, pequena cidade da Galiléia. Em nenhuma parte dos evangelhos há qualquer menção, por menor que seja, que relacione Jesus a outra localidade geográfica. Se ele tivesse passado esses dezoito anos em outro lugar, não o teriam identificado com sendo de Nazaré, mas, sim, de outro lugar. E para concluir, Lucas 4.16 diz que ele foi criado em Nazaré.

a) Jesus ensinava a ressurreição, não a reencarnação (Mt 22.29-32; Lc 16.19-31);
b) Jesus dizia que os seres humanos valem mais do que os animais (Mt 6.26);
c) Jesus cria em um único Deus (Mc 12.29-30);
d) Jesus comia carne de animais (Lc 24.40-44);
e) Jesus colocava os judeus como o principal povo (Jo 4.22).

 
Obs: Se Jesus era de Nazeré, Galiléia ou de Cafarnaum tudo isso é importante  o mais importante é que ele é o Cristo o filho do Deus vivo. 
Morreu na cruz  para dar a sua vida por mim e por você,  reviveu ao terceiro dia e hoje está em nosso meio.

Amém.




Fonte: J-D-B (Pb. Paulo César)
Real:06/07/11

1 Comentario:

Ryan Zappa disse...

Robert Ingersoll, 1872, Os Deuses. Extraordinário orador de Illinois, seus discursos atacavam a religião cristã. “Sempre me pareceu que um ser vindo de outro mundo, com uma mensagem de infinita importância para a humanidade, deveria pelo menos ter escrito tal mensagem de seu próprio punho. Não é admirável que nenhuma palavra foi jamais escrita por Cristo?” Ah, em tempo: a cidade de Nazarè não existia nos tempos relatados. O nome [Nazaré] não aparece nem no Velho Testemento nem na grande literatura intertestamental".

Postar um comentário

Deiche aqui suas mensagens