27 de outubro de 2010

Amando o Filho Pródigo



Uma das mais belas parábolas que Jesus contou, ao meu ver, é a parábola do filho pródigo. Esta parábola expressa, de maneira profunda, a dimensão do perdão, da graça e misericórdia de Deus Pai, para com o filho que volta pra casa.
Esta história fala do filho que pede sua herança e abandona seu pai e seu irmão e vai para uma terra distante gastar dissolutamente tudo o que possui em coisa fúteis até cair em total miséria.
O significado da palavra "pródigo" é exatamente isso, "aquele que gasta imprudentemente ou esbanja, disperdiça".
Se você ler esta história, no livro de Lucas capítulo 15, dos versos 11 a 32, você verá o desfecho desta história emocionante.
O filho que se arrende e volta ao lar, o pai que recebe com alegria e faz festa pela volta do filho, mas, o que quero atentar hoje nesta história é a atitude do irmão, em decorrência da volta do filho pródigo.
Qual irmão não gostaria de ver seu irmão dado como morto voltar para casa são e salvo?
Mas não foi esta a reação do irmão. A parábola diz que ao ver toda aquela festa ele se "indignou"!
Pode uma coisa tão triste como essa acontecer? É triste ver a reação deste irmão, questionando o amor do pai pelo filho que regressou, comparando-se a ele e se auto-promovendo.
Mas aqui vejo atitudes que infelizmente são repetidas por muitos até hoje, muitos estão fazendo o papel do irmão do filho pródigo, veja como:
*Ele sentiu ciúmes e indignação ao ver aquela festa para o irmão;
*Ele não quis participar da festa;
*Ele comparou-se a seu irmão mostrando suas qualidades e os defeitos do outro.
Sabe, nossas igrejas estão cheias de pessoas assim, que não se alegram por aqueles que voltam para o Senhor depois de cairem, de errarem.
Ficam indignados quando vêem estas pessoas sendo abençoadas por Deus, sendo restituídas daquilo que perderam, sendo amadas pelo Pai das misericórdias.
Começam a fazer longas orações, citando a Deus seus méritos e atributos e requerendo castigo aqueles que caíram.
É triste imaginar que isso possa acontecer, mas acontece!
Assim como na parábola o Pai diz: "Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas.", é como se o Pai dissesse, você pode ter as mesmas coisas, é só pedir!
Não precisamos sentir ciúmes nem indignação pelo irmão arrependido, precisamos amá-lo e ter a mesma misericórdia que Deus tem por nós pecadores e fazer festa, assim como os anjos fazem no céu, por um pecador que se arrepende.
Afinal de contas, quem somos nós para acharmos que merecemos mais que o nosso próximo.
Deus ama a todos sem acepção, e Deus conhece a intenção dos corações!


Fonte: Adoração sem limites


Postado por: ( Pb.Paulo César )
www.jesusdentrodobarco.blogspot.com
 

1 Comentario:

F. Sales disse...

Parabéns pelo post. Eu tenho a sensação de que, às vezes, os mais velhos prefeririam que os pródigos não voltassem. Mas na verdade eles querem que voltem mas que paguem pelos atos cometidos. E a graça quebra todas as regras quanto a isso.

To seguindo suas notícias.
Depois dá um pulinho no meu blog também:

http://corroborado.blogspot.com

Postar um comentário

Deiche aqui suas mensagens